Belém do Pará, segundo domingo de outubro

O Círio

 

Foto: Fabrício Coleny

Imagem de Nossa Senhora de Nazaré é erguida na Praça Santuário na chegada do Círio – Foto: Fabrício Coleny

Muito além da grande procissão que percorre as ruas de Belém no segundo domingo de outubro, reunindo mais de dois milhões de fieis, o Círio de Nazaré, como grandioso espetáculo de fé e devoção, é um conjunto de manifestações religiosas que faz parte da vida dos paraenses há mais de 200 anos.

A origem da Festa está ligada ao achado de uma pequena imagem de Nossa Senhora de Nazaré às margens do igarapé Murutucu, no ano de 1700, por Plácido José de Souza. No local do achado está hoje a suntuosa Basílica Santuário de Nazaré, onde a mesma imagem encontra-se no Glória, no altar mor, local para onde converge a fé e a devoção dos filhos amados de Maria de Nazaré. Em 1968, para tentar preservar a chamada Imagem Original, foi elaborada a Imagem Peregrina, encomendada ao escultor italiano Giacomo Mussner, que desde então passou a ser utilizada nas romarias e visitas.

A Festa é preparada ao longo do ano por voluntários que se dedicam intensamente para o trabalho de evangelização que o Círio propõe. Eles fazem parte da Diretoria da Festa de Nazaré, que tem à frente o Reitor da Basílica Santuário de Nazaré. O grupo tem como presidente do Conselho Consultivo o Arcebispo de Belém, responsável pelas decisões que envolvem diretamente a grande festa.

Ainda no mês de maio é feito o lançamento do cartaz oficial. Considerado um dos ícones do Círio, é a principal peça de divulgação da festividade. O lançamento é feito durante uma cerimônia na Praça Santuário, quando ele é mostrado pela primeira vez ao público. Em agosto, após a Missa do Mandato, têm início as Peregrinações em Família, momento especial de evangelização, quando mais de cinco mil grupos de evangelização percorrem mais de cem mil lares paraenses na Região Metropolitana de Belém e também em outros municípios, levando sempre uma imagem de Nossa Senhora de Nazaré. Os 15 encontros seguem um roteiro previamente elaborado pela Diretoria da Festa de Nazaré.

O Círio começa oficialmente na terça-feira que antecede o segundo domingo de outubro, com a Santa Missa na Basílica Santuário. A partir de então a programação se intensifica com diversos eventos que envolvem Adoração ao Santíssimo Sacramento, concerto Mariano, Missas, visitas, e as 12 romarias oficiais, dentre elas o Círio propriamente dito. A festa continua por mais 15 dias até o Recírio, quando, após percorrer mais de 140 quilômetros, em cerca de 42 horas de procissões e fazer aproximadamente 400 visitas, a Imagem Peregrina segue na ultima procissão, até o Colégio Gentil Bittencourt. Ao longo do ano a Imagem permanece em um nicho na sacristia da Basílica Santuário.

Transcendendo o aspecto religioso, o Círio faz parte da história, da cultura e da vida dos devotos, em especial os paraenses, que durante o ano inteiro visitam a Basílica Santuário de Nazaré para agradecer ou pedir a intercessão de Maria Santíssima. Belém, sua Região Metropolitana e vários municípios se preparam e vivem intensamente a Festa da Rainha da Amazônia em todas as suas dimensões. O Círio movimenta os setores econômicos do comércio e serviços, sendo considerada a época como de alta temporada, principalmente relacionada ao turismo religioso.

Por sua grandiosidade, o Círio e seu conjunto de manifestações religiosas e culturais recebeu em 2015 da Unesco – Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura – o título de Patrimônio Imaterial da Humanidade. Em 2004, foi inscrito pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – como Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial Brasileiro.

 

Texto: Fabrício Coleny – Jornalista Publicitário