Procissões

Traslado para Ananindeua

Um percurso de 47 quilômetros marca a primeira romaria oficial da programação do Círio, o Traslado para Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém. O cortejo acontece na sexta-feira que antecede o segundo domingo de outubro, é o mais extenso e com maior duração de toda a programação, com cerca de 12 horas. Milhares de fiéis acompanham correndo, de bicicleta, motocicleta ou de carro e outros aguardam a passagem do cortejo nas calçadas das ruas e rodovias que fazem parte do percurso. Nossa Senhora de Nazaré recebe diversas homenagens de várias maneiras e são feitas algumas paradas. A primeira dessas paradas é uma das mais emocionantes e acontece em frente ao Hospital Ophir Loyola, que é referência no tratamento Oncológico de crianças e adultos, localizado na Avenida Magalhães Barata, onde os enfermos aguardam em um espaço especialmente preparado para eles. O primeiro traslado aconteceu durante o Círio de 1992.

Romaria Rodoviária

Realizada na véspera do Círio, a romaria conduz a Imagem Peregrina que sai da Igreja Matriz de Ananindeua à orla de Icoaraci. Ao longo do percurso, são realizadas diversas homenagens, especialmente com a queima de fogos. Depois de percorrer cerca de 24 quilômetros, chega ao trapiche por volta das 8h.

Romaria Fluvial

Ela está entre as mais belas romarias da programação do Círio. O percurso pelas águas da Baía de Guajará corresponde a aproximadamente 18 Km, até a Praça Pedro Teixeira. A embarcação da Marinha do Brasil leva a Imagem Peregrina em um nicho, seguida por centenas de embarcações de todos os tipos e tamanhos. Em muitas delas é celebrada a santa missa, com momentos de espiritualidade e muito louvor. A primeira Romaria Fluvial foi realizada pela então Companhia Paraense de Turismo em 1986. Na chegada, na escadinha (Praça Pedro Teixeira), Imagem é recebida com honras de Chefe de Estado, pela Polícia Militar, fato que se repete desde 1999, motivado pela Lei Estadual nº 4.371, de 15 de dezembro de 1971, que proclamou a Virgem de Nazaré Padroeira do Pará, Rainha da Amazônia e merecedora dessa grande honraria.

Moto Romaria

Após a chegada da Romaria Fluvial na Escadinha do Cais do Porto, os romeiros se integram aos motociclistas que aguardam a Imagem para conduzi-la na Moto Romaria até o Colégio Gentil Bittencourt. Num percurso de 2,6 quilômetros, centenas de motociclistas fazem a escolta da Imagem em um estrondoso cortejo que toma conta das ruas de Belém. A romaria foi criada em 1990 pela Federação Paraense de Motociclismo, que decidiu prestar sua homenagem.

Cerimônia de Descida da Imagem Original

Ao final da Moto Romaria, no interior da Basílica Santuário acontece uma das cerimônias mais esperadas da programação: a descida da Imagem Original de Nossa Senhora de Nazaré do Glória, sobre altar-mor. Todos os anos, ver de perto a imagem de 28 centímetros emociona os milhares de peregrinos que chegam de todos os lugares do Brasil e do mundo, para prestar homenagens. A Imagem permanece em um nicho no presbitério durante os 15 dias da festa, retornando no Recírio.

Trasladação

Na noite do sábado, véspera do Círio, milhares de fiéis se reúnem para a procissão que antigamente era chamada de Antecírio. Com saída do Colégio Gentil Bittencourt, após a missa, os romeiros saem em caminhada rumo à Catedral de Belém, no percurso inverso ao do realizado na manhã de domingo. A primeira Trasladação foi promovida pelo Governador Francisco de Souza Coutinho, junto com o Capelão do Palácio do Governo, padre José Roiz de Moura, que levaram a Imagem de Nossa Senhora de Nazaré, da Matriz até a capela do local.

Círio de Nazaré

No segundo domingo de outubro mais de dois milhões de pessoas de todos os lugares do mundo vêm a Belém para participar da tradicional festa religiosa da Amazônia e uma das maiores do mundo. A procissão tem 3,6 Km de percurso, saindo da Catedral, na Cidade Velha, até a Praça Santuário de Nazaré. A primeira procissão saiu na tarde do dia 8 de setembro de 1793. O Círio passou a ser realizado pela manhã a partir de 1854. Desde 1882, o bispo Dom Macedo Costa, de comum acordo com o Presidente da Província, Dr. Justino Ferreira Carneiro, resolveu que o ponto de partida seria a Catedral, o que acontece até hoje. O segundo domingo de outubro ficou definido como o dia de realização da procissão do Círio em 1901.

Ciclo Romaria

No sábado posterior ao Círio de Nazaré, pela manhã, acontece a Ciclo Romaria, com saída da Praça Santuário de Nazaré. Todos os anos o trajeto percorrido é diferente, definido dois meses antes do Círio. Muitos ciclistas enfeitam suas bicicletas para participar do cortejo e ao final é feita a escolha das três melhores, que recebem premiação. A romaria dos ciclistas foi criada depois do pedido da Federação dos Ciclistas do Pará e da Associação dos Ciclistas de Icoaraci, em 2004.

Romaria da Juventude

É a vez da juventude homenagear a Rainha da Amazônia. A procissão é animada por um trio elétrico, um momento de confraternização entre jovens de paróquias e comunidades da Arquidiocese de Belém, o que faz desta Romaria uma das mais animadas. Ela começou a ser realizada em 2001, com a procissão saindo da Comunidade São Braz, que integra a Paróquia de Nazaré. A cada ano, uma Igreja da Arquidiocese de Belém é escolhida para ser a anfitriã do evento e ponto de saída da romaria. Na chegada é celebrada a Santa Missa na Praça Santuário.

Romaria das Crianças

No primeiro domingo após o Círio de Nazaré é a vez das crianças irem às ruas prestar suas homenagens a Nossa Senhora. A Romaria, criada com o objetivo de construir e fortalecer a devoção mariana entre os pequenos, sai e retorna à Praça Santuário, percorrendo algumas ruas do bairro de Nazaré. A Imagem Peregrina é levada na berlinda, acompanhada pelos Carros dos Anjos. A animação fica por conta de bandas musicais compostas por crianças e jovens de municípios do estado e também de um coral que é formado especialmente para a homenagem. A primeira Romaria foi realizada em 1990.

Romaria dos Corredores

Em 2014, mais uma romaria oficial entrou para o calendário da grande festa do Círio de Nazaré: a Romaria dos Corredores. Assim, homenagem a Rainha da Amazônia ficou composta por 12 romarias oficias. O trajeto conta com aproximadamente 8 km com início e chegada na Praça Santuário. O evento não tem caráter competitivo, portanto não há cronometragem nem premiação. É feito em forma de trote (corrida de pouca velocidade). A ideia foi sugerida por uma comitiva de corredores de rua da capital paraense que encaminhou o pedido, aprovado pela Arquidiocese de Belém e Diretoria da Festa.

Procissão da Festa

Na manhã do segundo domingo após o Círio acontece a Procissão da Festa, a penúltima Romaria Nazarena e a terceira romaria mais antiga da festividade, depois do Círio e da Trasladação. A procissão é acompanhada pela Diretoria da Festa e comunidades da Paróquia de Nazaré. O percurso é diferente a cada ano para poder abranger todas as comunidades que integram a Paróquia. A imagem Peregrina segue em um andor. Não se sabe precisamente quando a primeira Procissão da Festa foi realizada, mas em 1881 já se tem registros históricos, 24 anos antes dos Barnabitas assumirem a Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré do Desterro, em 1905.

Missa de Encerramento da Festa

A celebração começou a ser realizada em 1982, com a inauguração da Praça Santuário. A missa é celebrada no quarto domingo de outubro e logo após é realizada a solenidade de encerramento da festividade, quando os Diretores da Festa recebem diplomas e medalhas em uma cerimônia na Casa de Plácido. O encerramento também é marcado por show pirotécnico.

Cerimônia do retorno da Imagem ao Glória

Depois de passar 15 dias perto dos fiéis no presbitério, a Imagem Original retorna ao nicho, no Glória. A descida acontece duas vezes ao ano, sendo a primeira no mês de maio, quando se comemora o aniversário de elevação da Basílica à categoria de Santuário Mariano da Arquidiocese de Belém, e a segunda durante a Quadra Nazarena. Milhares de devotos visitam a imagem durante os 15 dias de festividade.

Recírio

Quinze dias após o Círio, em uma segunda-feira, acontece o momento que encerra toda a Festividade Nazarena, com o Recírio. A procissão começa após a missa na Praça Santuário, quando a Imagem Peregrina é conduzida em direção à Capela do Colégio Gentil Bittencourt. A primeira procissão do Recírio remonta a metade do século XIX, mas precisamente o ano de 1859.